António Lança

Nasceu no chamado Monte Velho, a casa dos Lança na Herdade Grande, numa família fortemente ligada à atividade agrícola e à Vidigueira.

O pequeno António Lança desde cedo cultivou o gosto pela terra, incutido naturalmente pelo seu pai, Eduardo, agricultor e também ele herdeiro de toda uma tradição aprendida com Ernesto dos Santos Lança, o avô de António que, em 1920, adquiriu a Herdade Grande, estabelecendo ali a família.

As lides da terra, nomeadamente, na cultura da vinha e do olival, sempre preencheram o dia-a-dia de António Lança, desde o tempo em que, ainda criança, subiu ao primeiro tractor alguma vez visto na herdade, ou ao momento em que, já formado agrónomo, idealizou nos final dos anos 70 o património de vinhas hoje existente, bem como a implantação da marca de vinhos Herdade Grande, nascida, posteriormente, em 1997.

Fundador daquele que é um dos primeiros projetos vitivinícolas do Baixo Alentejo, contador de histórias e portador de um delicioso sentido de humor, que acompanha sempre com um sorriso subtil, António Lança é a personificação da paixão pelo Alentejo, celebrada em plena Herdade Grande e passada entre gerações.

Frases sobre vinhos
Deguste estes textos com um bom vinho HG!

1997
1998
1999
2000
2001
2002
2003
2004
2005
2006

1997

“O vinho é depois do sol, de quem é filho, o maior elemento de actividade espiritual sobre o mundo.”
Araújo, Norberto (1952-1988) (Jornalista/ Escritor)

1998

“Um bom vinho(…) sobe-nos à cabeça e seca nela vapores estúpidos, melancólicos e desabridos(…), tornando o entendimento sagaz, vivo e incentivo…”
Shakespeare , William (1564-1613) (Poeta e dramaturgo inglês)

1999

“O vinho (…) dispõe a alma para o Amor desde que não bebido em demasia e desde que os sentidos não estejam embotados por abundantes libações (…)”
Ovídio (43 a.C. -17/18 d.C.) (Poeta Latino)

2000

“O vinho (…) é a chave que sem dar volta, abre os corações e solta os pensamentos.”
Frei Rafael (Séc.XVII) (Pregador régio e cronista-mor do Reino)

2001

“Vinho bom em pequenas quantidades, acorda para a vida aquele que, por defeito do coração, está meio moribundo.”
de Serres, Oliver (1539-1619) (Agrónomo e escritor francês)

2002

“Vinho (…) consola os tristes, rejuvenesce os velhos, inspira os jovens e alivia os deprimidos do peso das suas preocupações.”
Lord Byron (1788-1824) (poeta escritor britânico)

2003

“No vinho estão a verdade, a vida e a morte. No vinho estão a  aurora e o crepúsculo, a juventude e a transitoriedade. No vinho está o movimento pendular do tempo. No vinho se espelha a vida.”
Betsch, Roland (1888-1945) ( Escritor alemão)

2004

“O Vinho tem o poder de encher a alma de toda a verdade, de todo o saber e filosofia.”
Bosswet, Jacques (1627-1704) (Bispo, pregador e escritor francês)

2005

“Quem não souber amar a mulher, a música e o vinho, permanecerá tolo toda a vida.”
Luther King, Martin (1483-1546)

2006

“Bebam sempre por antecipação e a sede jamais vos atormentará.”
Rabelais, François (1494-1553) (Escritor Francês)

Uma viticultura inspirada por gerações

Quando criança e jovem fazia questão de passar os fins-de-semana e as férias na Vidigueira, com os avós, em plena Herdade Grande. Os cereais, o olival, os animais e, acima de tudo, a vinha, sempre a inspiraram. Foi com naturalidade, portanto, que seguiu as pisadas do pai, formando-se em Viticultura e, depois, em Enologia.

Em 2011, Mariana Lança não podia ficar indiferente ao convite de António Lança, para que assumisse o futuro do projeto, tornando-se directora-geral da Herdade Grande e renovando o empenho e a visão da família em diversas áreas, desde a comercial e de marketing, até ao seu principal amor, a viticultura, onde procura honrar os princípios aprendidos do pai e do avô. Hoje, representa a quarta geração da família chegada em 1920 à Herdade Grande.

Enologia.
Vinhos produzidos por profissionais

A equipa de enologia da Herdade Grande é constituída pelos enólogos Diogo Lopes Pedro Garcia. Desde os tempos de formação académica que ambos partilham uma forte ligação ao Alentejo e, em particular, à Herdade Grande.

Uma viticultura inspirada por gerações

Quando criança e jovem fazia questão de passar os fins-de-semana e as férias na Vidigueira, com os avós, em plena Herdade Grande. Os cereais, o olival, os animais e, acima de tudo, a vinha, sempre a inspiraram. Foi com naturalidade, portanto, que seguiu as pisadas do pai, formando-se em Viticultura e, depois, em Enologia.

Em 2011, Mariana Lança não podia ficar indiferente ao convite de António Lança, para que assumisse o futuro do projeto, tornando-se directora-geral da Herdade Grande e renovando o empenho e a visão da família em diversas áreas, desde a comercial e de marketing, até ao seu principal amor, a viticultura, onde procura honrar os princípios aprendidos do pai e do avô. Hoje, representa a quarta geração da família chegada em 1920 à Herdade Grande.

Enologia. Vinhos produzidos por profissionais

A equipa de enologia da Herdade Grande é constituída pelos enólogos Diogo Lopes Pedro Garcia. Desde os tempos de formação académica que ambos partilham uma forte ligação ao Alentejo e, em particular, à Herdade Grande.

Enólogo | Winemaker

Diogo Lopes

Nasceu em Lisboa em 1978, mas as raízes beirãs sempre o ligaram à terra. Era ainda estudante de enologia quando conheceu António Lança, já então um dos mais reputados agrónomos da Vidigueira. Chegou inclusivamente a colaborar com a Herdade Grande na divulgação do seu portfólio de vinhos, desenvolvendo forte empatia pelo projeto e pelas pessoas. E como se de um regresso se tratasse, foi com enorme felicidade que, 20 anos depois, aceitou o convite de António Lança para assumir a enologia da casa. Neste intervalo, Diogo Lopes assumiu-se como um dos enólogos de referência da nova geração em Portugal. Experimentalista, defende a convicção de que os vinhos devem ser expressão genuína da região onde nascem. Licenciado em Engenharia Agronómica pelo Instituto Superior de Agronomia, com pós-graduação em enologia pela Escola Superior de Biotecnologia da Universidade Católica Portuguesa, estagiou pelas principais regiões portuguesas (Vinhos Verdes, Douro e Alentejo) e em Napa Valley (Califórnia). Começou a carreira profissional ao lado de Anselmo Mendes, precisamente na região do Alentejo, em 2005. É ainda consultor nas regiões de vinhos do Douro, Lisboa e Açores.

Enólogo | Winemaker

Pedro Garcia

Alentejano natural de Moura (1978), é filho de mãe agrónoma e por aí, desde jovem, conheceu amizade com a família Lança. Esta ligação, bem como a grande proximidade com quem lhe lançou o convite para formar equipa – Diogo Lopes – tornaram o cenário irrecusável: Pedro Garcia integrou a enologia da Herdade Grande. A dupla conheceu-se em pleno Instituto Superior de Agronomia, no final dos anos 1990, onde ambos completaram a formação académica. Estagiaram juntos em Napa Valley, com Pedro Garcia a iniciar, depois, um percurso de seis anos na Herdade da Malhadinha. Tem estado sempre dedicado, também, à paixão pela cultura do olival, só interrompida por um projeto desenvolvido no Brasil, para lançamento de uma das mais relevantes plataformas de e-commerce ligadas ao sector do vinho. Ex-atleta de basquetebol, é também empresário, estando ligado ao sector da restauração, ou não partilhasse com o amigo Diogo Lopes uma grande paixão pela boa cozinha e pela harmonização com o vinho.
E tal como o seu parceiro de enologia, defende a convicção de que os vinhos devem espelhar de forma muito particular as características específicas do terroir onde nascem.